domingo, 15 de maio de 2016

Domingo de Pentecostes

Eis realizada a profecia de

 Joel: o Espírito Santo desce

sobre Maria e os Apóstolos; e

as maravilhas de Deus vão ser

pregadas no mundo inteiro.




O dom do espírito Santo fora anunciado pelos profetas para os templos messiânicos. A sua descida sobre os Apóstolos é o pórtico desta era nova. Funda-se então a Igreja, e é-lhe conferido o espírito de Cristo, <<para renovar a face da terra>>. A narrativa dos Atos recorda os acontecimentos do dia de Pentecostes: a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos e os fenômenos que a acompanham, particularmente o milagre das línguas, símbolo da Missão universal dos Apóstolos. Todas as nações são chamadas a ouvir a proclamação da Boa Nova.


A esta presença do Espírito Santo, que inspira e dirige a Igreja, na sua missão de pregar o Evangelho até aos confins do mundo, acresce outra presença mais íntima e mais pessoal, que faz dos Apóstolos homens novos, transformando-lhes a própria natureza. A sequência da Missa e o hino de véspera descrevem e evocam penetrante do Espírito Santo no coração dos fiéis. A leitura do livro dos Atos durante toda a oitava, mostrará esta dupla ação do Espírito Santo na Igreja e na alma dos crentes.



A BÍBLIA E A LITURGIA DESTE DIA


Sobre a celebração da festa das colheitas, no Antigo Testamento: Êxodo 23:16 – Levítico 23:15-21 – Deuteronômio 16:26.

Sobre a vinda do Espírito Santo, comparar o seu papel de unificação no milagre das línguas, de que nos fala a epístola do dia, com a sua ação de unidade nos primórdios da Criação (Gênesis 1), por oposição à dispersão de Babel (Gênesis 11:1-9). Ver em Números a efusão do Espírito Santo sobre os 70 anciães, e sobre Saul (I Reis 10:9-13; 19:20-24). A leitura do Êxodo 19 recordará também que o Pentecostes é um segundo Sinai, onde Deus constituiu para Si um novo povo por uma aliança impressa nos corações.

Sobre o Espírito, que incita os corações ao louvor de Deus: Romanos 5:5 – Gálatas 4:6. Comparar o final da epístola do dia com outros exemplos evocativos das maravilhas de Deus, sob a ação do seu Espírito: Lucas 1;2 – Atos 10:44-48; 19:1-8 – I Coríntios 12 a 14.

Sobre o caráter escatológico do acontecimento: Atos 2:14-21, citando o texto profético de Joel 3:1-5, que se refere à invocação salvífica do Senhor, isto é, à confissão de que Jesus é o Senhor (Romanos 10:9-13): os próprios cristãos se designavam dessa maneira (Atos 9:14; 22:16) – I Coríntios 1:2), certos de que assim obteriam a salvação no grande dia do juízo (Mateus 1:21 – Atos 4:12).

A liturgia deste dia nos sugere a leitura dos salmos 47 e 67.


Fonte: Missal Romano Cotidiano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário