sexta-feira, 19 de julho de 2013

Inquisição na Itália

Na Itália, assim como na França, a Inquisição foi fundada para reprimir a seita dos cátaros e começou a funcionar em 1224 quando o Papa Honório III incumbiu vários bispo para proceder contra os hereges; como tribunal, oficialmente começou a funcionar, como nos demais países, no ano de 1232 pela bula do Papa Gregório IX.

Vários inquisidores, como São Pedro de Verona, foram assassinados pelos hereges. Na Lombardia  – três séculos  mais tarde – distinguiu-se o inquisidor Miguel Ghisleri, depois elevado à dignidade papal e conhecido mundialmente como São Pio V. Na república veneziana, as leis civis, impunham pena de morte aos hereges, independente até de arrependimento. São Pio V tentou subtrair a Inquisição do poder civil, concentrando poderes – civil e eclesiástico . Não conseguiu, porém regularizou que as sentenças ao menos fossem justas.

Enquanto tinha o tribunal da fé, a cidade de Roma ficou isenta por três séculos, pois os hereges não achavam fomento nem proteção. Tudo mudou com  a aparição do protestantismo que forçava a Itália e demais  países católicos.

Em face do perigo, Paulo III achou necessário criar uma nova sede da Inquisição, que será o órgão central e supremo para toda Igreja. Decisão recomendada por Santo Inácio de Loyola. O dia 4 de julho de 1542 marca o início da Inquisição Romana.

O perigo se intensificou em 1559, quando um grupo de hereges agrediu o inquisidor Sacote e tentou queimar o Mosteiro de Santa Maria, onde estavam os arquivos da Inquisição. Os populares impediram o saque e os próprios inquisidores salvaram os hereges do linchamento.

Os fatos históricos provam que precisamente na Itália o proceder era rigorosamente jurídico, segundo normas de equidade, excluindo arbitrariedades e processos precipitados. As perseguições de bruxas eram casos raríssimos, da mesma forma que as sentenças capitais.

É sempre bom lembrar que a Europa bárbara e pagã se tornou berço da civilização ocidental, tendo a fé católica como motor. Primeiro a Igreja civilizou esses povos com as leis do Evangelho, depois veio a educação, por isso para os povos, a fé era o maior patrimônio da civilização.

Em Roma e nos estados pontifícios sempre viveram muitos judeus; em nenhuma parte do mundo eles foram tratados tão humanamente. Graças a esse espírito que reinava na Igreja nasceu a expressão: É bom viver debaixo do báculo. Mesmo com perigo de infiltração, nem mesmo os seguidores de Lutero e Calvino que entravam na Itália eram molestados. Somente eram perseguidos aqueles que escandalizavam a fé com escritos e discursos.

Se todos os tribunais do mundo tivessem a mesma moderação da Inquisição Romana, inúmeros horrores teriam sido poupados ao Ocidente.

Inquisição: Histórias Mitos e Verdade - Joseph Bernard.

8 comentários:

  1. SANTA INQUISIÇÃO!
    SANTA? ACHAM QUE EU SOU IDIOTA?
    O INFERNO ESPERAPOR VOCÊS!
    ARI

    ResponderExcluir
  2. Sr. Ari

    Vossa pessoa precisa entender que, quando fazemos alguma contestação, devemos argumentar para sustentar nossa posição e isso o senhor não fez. Apenas perguntou se o acho idiota.

    Como não o conheço de lugar nenhum, lógico não tinha como achar isso, mas, essa sua atitude imprudente até me levantou suspeita.

    Durval Cardoso.

    ResponderExcluir
  3. concordo Roma de Sempre a Inquisição não poder ser julgada com um olhar do presente e se formos cautelosos em se aprofundar em seus documentos acharemos horrores sim para nosso presente, mas temos que compreender a história em que está se passou para formularmos uma opinião tão brusca como a do Sr Ari.

    ResponderExcluir
  4. Prezada Jusciana,

    Obrigado pelo comentário de bom senso, a inquisição é um assunto manipulado principalmente por marxistas e ateus no ambiente acadêmico. É contada sem citar nomes, documentos históricos ou qualquer pronunciamento documentado por Papas etc.

    Não sei se a sra. ja notou, mas esse assunto apenas é dado repetindo a firmação que a Igreja matava quem "ousasse" duvidar de seus dogmas, caso a sra. não tenha lido, recomendo esta postagem também do blog (http://romadesempre.blogspot.com.br/2013/07/a-realidade-da-inquisicao.html) e desmascarar esses "intelectuais" que tanto caluniam a Igreja fazendo com que muitos percam a fé.

    OBS: o monstruoso século XX foi o período onde grandes regimes totalitário ateísta chegou ao poder; nazismo e comunismo. Só o comunismo ceifou mais de 100 milhões de vidas inocentes e tudo há menos de 100 anos. Essa verdadeira inquisição é descaradamente ocultada do público.

    Cordialmente,
    Durval cardoso.

    ResponderExcluir
  5. Amigo, recebi criação católica, entendi bem o seu ponto de vista. No entanto, a sua própria escrita no seguinte trecho:"... As perseguições de bruxas eram casos raríssimos, da mesma forma que as sentenças capitais..."; prova que a igreja católica nesses tribunais matava quem tinha opinião divergente, mesmo que fosse raro, mesmo que fossem poucos casos, isso é um fato!! E mesmo que fosse ( o que não é) apenas um caso... Já seria suficiente para evidenciar que os dirigentes da igreja católica, naquele tempo, cometiam abusos e, evidentemente, estavam errados e agindo de forma maligna. Não estou generalizando, você próprio em alguns comentários valorizou o poder da argumentação. E fato é fato.

    A mensagem que quero transmitir é, simplesmente, a mensagem do bom senso. Noto que nos meios católicos, certo fanatismo pernicioso esta crescendo de forma avassaladora. Acho isso perigoso para a própria fé católica!! Porque depois torna-se motivo de ridicularização... Não leve para o lado pessoal, mas infelizmente, notei uma dose de fanatismo nos seus escritos.

    Deixe-me explicar... Não podemos ocultar a VERDADE. Jesus é a própria verdade. Não podemos tampar o "sol com a peneira"... Isso aumenta a incredulidade, aumenta o sarcasmo de muitos, você não tem ideia o quanto é perigoso para a fé cristã, quando alguém escreve um texto defendendo a inquisição... A mesma foi um erro, reconhecida por papas atuais que pediram perdão... A igreja atual, possui outros dirigentes, foque nisso, no presente, ou nos projetos futuros em nome do bem maior... Esse passado é tenebroso sim; é preciso a virtude da humildade para reconhecer isso. Lutar contra a verdade é inútil e isso, como escrevi, só serve de combustível para os incrédulos... Eu também luto contra os incrédulos...

    Publique meu comentário e retifique seu texto. Faça isso pelo bem maior, pois confio na sua qualidade de ponderação e reflexão, também percebidas na leitura.

    ResponderExcluir


  6. Prezado anônimo

    De fato, como o senhor falou, prezo muito pela argumentação e isso o senhor não fez, o senhor apenas continuou a acusar a Igreja do que os inimigos também a acusa e, como eles, bateu o martelo afirmando: “isso é fato”, lembro ao senhor: E a contra-argumentação? Onde está o contexto da versão que o senhor acredita?

    Creio que o senhor não deve ter lido as postagens iniciais e não viu que quem condenava os hereges e bruxas às fogueira era o PODER SECULAR e não a Igreja, os crimes contra a fé eram punidos com a morte de forma que os acusados quase não tinha direito a defesa. O tribunal inquisitório foi criado pela Igreja justamente para garantir o legítimo direito de defesa do acusado, coisa inexistente até então, daí o nome inquisição; de inquerir, investigar.

    Pela sua falta de argumentos o senhor deixa claro que nunca leu nenhum livro sério sobre isso, apenas distorceu uma frase e continuou a repetir uma acusação sem se aprofundar no assunto. Pior que o senhor é um caluniador barato, por sua própria imaginação chegou a conclusão que: “a Igreja matava quem tivesse opinião contrária”, isso mostra sua desonestidade e vontade de caluniar, leia um pouco mais sobre a realidade da inquisição e como eram os tribunais e pare de repetir essa lendas medievais.

    OBS: Quem deu ponto de vista aqui foi o senhor, dei um contexto e expliquei, o senhor entrou sem nada aprofundar.

    Durval Cardoso.

    http://romadesempre.blogspot.com.br/2013/07/a-realidade-da-inquisicao.html

    http://romadesempre.blogspot.com.br/2013/07/o-tribunal-inquisitorio.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou o sujeito que mandou a mensagem como anônimo no dia primeiro de Abril, chame-me de Ryu. Obrigado, por ter respondido ao comentário.

      Mas para replicar meu comentário, insultando como o " caluniador barato", mostra que já perdeste o sangue frio... Não iniciarei o ciclo imaturo e vicioso de insultos gratuitos, apenas esteja ciente, consigo mesmo, de quem desceu o nível primeiro. Vi que isso mexe muito com suas emoções e inseguranças. Quem esta firme na fé, sabe responder com serenidade, pois quanto maior for a hostilidade em defender a própria fé, maior será a insegurança... Isso é uma prova de que o seu inconsciente esta cheio de incertezas e dúvidas; buscando compensar através dessa " agressividade". Compare a serenidade de Jesus, e as explosões de raiva dos judeus e fariseus quando debatiam com o mestre.

      Numa argumentação séria, necessitamos manter a imparcialidade, a fim de julgar friamente e acertadamente. Quando as emoções entram em jogo, a parcialidade entra também, o lado racional perde o foco... Logo, aí sim, é que muitas coisas são distorcidas.

      Por enquanto, neste comentário, quero apenas fazer uma pergunta. O que me diz do belo gesto de humildade, executado pelo papa ao pedir perdão por esses erros passados da igreja??? Por ex: cruzadas, inquisição, noite de São Bartolomeu, etc. Se a igreja nunca errou nesse sentido, por que ele, a autoridade máxima da igreja romana, realizou tal ato???

      Excluir
    2. Prezado Ryu,

      O sr. parece ser bem sentimental e ainda por cima inverteu a ordem das coisas. O sr. entrou aqui repetindo calúnias contra a Santa Igreja sem nada argumentar sem nada ler sobre o que acusa, assim sendo, apenas concluí que o senhor calunia, ou seja acusa desonradamente a Igreja, se cometi algum erro foi em chama-lo de caluniador barato, pois na verdade é pior, é um caluniador gratuito, pois, não se deu por satisfeito e voltou a entrar e caluniar mais uma vez sem explicar o que fala, apenas repete as lendas universitárias sobre a Igreja.

      Não desci nível nenhum, apenas deixei claro que suas convicções são falsas e isso talvez tenha o decepcionado. O que muito me chamou a atenção é sua capacidade de inverter as coisas. Quem teve emoções e inseguranças mexidas foi o sr, e explico: o sr. é mais um que vive numa atmosfera de crença anti-católica, cheio de mitos e acusações falsas contra a Igreja. Toda essa baboseira se solidificou em sua cabeça ao ponto de o sr. entrar num blog que fala e explica tudo ao contrário do que o sr. aprendeu, por isso, foi o sr. quem se sentiu psicologicamente perturabado e com emoções fragilizadas, foram dois choques: ter convicções desmascaradas e, não saber justificar as lendas que acredita.Por isso o sr. retorna para reiterar as acusações mais uma vez sem nada explicar sobre elas.

      O pior disso tudo é que no comentário anterior, lhe dei duas postagem sobre inquisição e o sr. retorna perguntando sobre o mesmo assunto, isso mostra que não quer aprender, nem leu, quer repetir calúnias e não quer ser chamado de caluniador.

      Entre o Clero da Igreja, assim como em qualquer lugar, sempre houve corruptos, entre os doze apóstolos que conviveram com Nosso Senhor, já existia Judas. O Papa pediu perdão pelos erros humanos do Tribunal da Inquisição, já que todo Tribunal comete erros, (menos os do século XX e XXI, herdeiros do Tribunal Revolucionário de Robespierre e do comunismo pelos quais ninguém pede perdão) Que coisa hein!!!.

      PS. Não aceitarei mais calúnias sem uma argumentação, sem contexto, sem explicação; se acusar, mostre o enredo em que as coisas aonteceram como eu fiz.

      Durval Cardoso.

      Excluir