quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Foi assim que São Miguel Arcanjo expulsou Satanás de Robbie Mannheim





Nota do tradutor: Este artigo [parte XIII] encerra a série “Falam os Exorcistas”. Trata-se do mesmo episódio descrito no primeiro, porém com novas informações, pertinentes informações, deste que foi sem dúvida um evento que ainda hoje chama à atenção. Com estes artigos, como já foi dito, pretendeu-se alertar para um fato mais que concreto, ainda que situado no mundo invisível: a ação demoníaca entre os homens, que na maioria das vezes ocorrem através de coisas e pessoas que não damos a mais mínima atenção. Através de ofertas aparentemente inocentes que na frente acabarão por nos tornar dependentes de determinadas situações e pessoas, mesmo as quem amamos e nos amam; isto porque: “todo o que amar mais pai, mãe, filhos... mais que a Mim não é digno de Mim” (Mt X, 37), e isto implica que ao morrer tenhamos passe livre ao Inferno, que é o principal e maior objetivo da influência demoníaca na vida humana. Que neste fim dos tempos possamos, mais que nunca, levar a sério a máxima de Santa Teresa de Ávila, quem também era exorcista, a de que “Só Deus basta”. O verdadeiro remédio ao mal e à toda forma de desesperação é termos, de fato, a Deus como o centro de absolutamente tudo, que ao resto, entre outros, deu-nos uma Mãe, para cuidar de nossas coisas, para que cuidássemos das de seu Filho (cf. Mt VI, 33).

Tradução de Airton Vieira – Este ano se cumprem setenta anos do único exorcismo documentado nos Estados Unidos.1  Isto é significativo porque uma das maiores mentiras do diabo é convencer à humanidade de que não existe. Isto talvez explica a estupefação do público ao ver este exorcismo encenado no filme O exorcista, de 1973.

As cenas do filme eram tão espantosas que provocaram vômitos em muitos espectadores enquanto que outros perderam os sentidos e tiveram que ser trasladados em ambulância. Um homem que saía de uma sala o resumiu dizendo, «Eu creio, eu creio!». Este era o testemunho de alguém que uma vez mais passava a crer no demônio.

Apesar de que as cenas do filme mostravam graficamente o horror e a repugnância da possessão demoníaca, deixaram de lado o aspecto mais importante desta história verídica da possessão de um menino no estado de Maryland: foi liberado das garras do diabo através da intercessão de Nossa Senhora de Fátima e o poder de São Miguel Arcanjo.

[este trecho do artigo será omitido devido o histórico aqui narrado estar contido na primeira parte desta série – ndt]

quarta-feira, 31 de julho de 2019

FALAM OS EXORCISTAS – PARTE XII


Nota do tradutor – Com as postagens a seguir, intituladas “Falam os exorcistas”, pretende-se proporcionar aos leitores informação sobre um tema cada dia mais premente, o da influência demoníaca na vida do ser humano, responsável pela quase totalidade dos males hodiernos. O intuito é o de entender como o satanismo especialmente a partir das últimas três centúrias, vem dominando praticamente todas as esferas da vida humana, da religiosa à civil, trazendo consequências a nível individual, familiar e coletivo; isto dito por quem lida direta e indiretamente com os “dominadores deste mundo tenebroso” (Ef VI, 12). As informações, altamente necessárias a todos, crentes e não crentes, servirão para nos colocar diante da verdade: sobre nós e sobre os que nos cercam; tendo em conta o revelado à Santa Brígida da Suécia, que a Igreja utiliza em sua liturgia: “(...) Suplico-Vos, meu Salvador, livrai-me de todos os meus inimigos visíveis e invisíveis e fazei-me chegar, com vosso auxílio, à perfeição da salvação eterna”. É disto que se tratará nas postagens a seguir, vindas em boa hora para que a Verdade possa de fato libertar os – cada vez crescentes – milhões de cativos mundo afora, mesmo fora das prisões institucionais; portanto, eu, você, e muitos mais.


Porta aberta ao demônio – 7ª porta
R.P Paul Marie de Mauroy*

Os pecados graves repetidos
A sétima porta aberta são os pecados graves repetidos.

Todos sabem muito bem como um pecado grave pode criar laços com o demônio. E quando se reincide em um pecado grave, se cria uma ligação com o demônio que permite a ele agredir a pessoa. Falo do aborto, falo do adultério, falo da fornicação, falo do homicídio etc.

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Revolução nos conventos - mudaremos seu modo de rezar





(Luisella Scrosati, La Nuova Bussola Quotidiana - 19 de julho de 2019) "Feita a Itália, é preciso fazer os italianos": esta é a famosa declaração atribuída ao marquês Massimo d'Azeglio. Não se sabe se ele realmente pronunciou esse ditado, mas o que é certo é que correspondia ao seu pensamento. E – o que é ainda mais preocupante - foi o programa idealizado para o renascimento dos Sabóias. A nação Italiana já existia há séculos, ligada por uma identidade profunda, mas aquele senso de italianidade era inadequada para as novas necessidades do novo Estado. Assim, os novos italianos tiveram que ser refeitos, em primeiro lugar, convencendo-os de que antes deles, sequer existiam italianos! Um enorme aparato de leis foi estabelecido, apenas para deixar claro que o que tinha sido lícito até então, não valia mais, e que as antigas liberdades eram na realidade escravidão e tinham que ser suprimidas para abrir caminho para o novo, muito novo e muito italiano.

Não há necessidade de ir além: toda revolução deve fazer um novo homem e eliminar aqueles que resistem. Se você der uma olhada no que está tramando a Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica (CIVCSVA), você entenderá a razão da longa introdução.

O cardeal João Braz de Aviz, presidente daquela Congregação com um nome muito longo, explicou em uma recente entrevista seu programa para "fazer os italianos": "Estamos trabalhando muito para a transformação da formação.

quarta-feira, 17 de julho de 2019

A Renovação Carismática a descoberto (a demolição da ascética cristã)

milagro



Como já mencionado, o movimento carismático "católico" pentecostal foi importado do pentecostalismo protestante. Os católicos pentecostais têm reconhecido e agradecido, e têm vindo a considerar como autênticos o pentecostalismo protestante. Era lógico que sim, porque senão cair em contradição com as suas próprias origens; consequentemente, eles realizam suas reuniões de oração com os protestantes de todas as denominações, sem distinções.

Nestes encontros, qualquer que tenha recebido o dom de ser "guia" pode impor as mãos sobre alguém, sem se preocupar com a Igreja ou seita a que pertence. Todos supostamente recebem dons do Espírito Santo, falar em línguas, interpretar, profetiza e curar.

Diferenças doutrinárias não são uma barreira. E assim os católicos que deveriam argumentar que só eles têm a Verdade plena, não intentam esclarecer seus irmãos protestantes com a plenitude da verdade que só pode ser encontrada na Igreja Católica. Quanto aos protestantes, longe de admitir as justas reivindicações da Igreja Católica, que deveria ser o resultado lógico de um verdadeiro derramamento do Espírito Santo, afirmam experimentar um conhecimento mais claro da doutrina das denominações protestantes.
Ambos, carismáticos "católicos" como protestantes, afirmam trabalhar de forma rápida e em um espírito de caridade e compreensão mútua para a unidade, que é o objetivo do movimento ecumênico. Questões doutrinárias não são discutidas porque (como dizem) buscam a unidade em "um nível mais profundo."

Como "nível mais profundo" entendamos como "nível emocional", que confundem com o "amor sobrenatural". No entanto, o nível emocional é o mais enganador.

Somente a Verdade é o nível mais profundo, e nela a unidade é possível porque Cristo veio para dar testemunho da Verdade, rejeitando todas as concessões com erro e ambiguidade. Ele deu sua vida pela verdade; Se a verdade não é aceita e totalmente confessada, o amor e a união sobrenatural são impossíveis.

sexta-feira, 12 de julho de 2019

FALAM OS EXORCISTAS – PARTE XI


Nota do tradutor – Com as postagens a seguir, intituladas “Falam os exorcistas”, pretende-se proporcionar aos leitores informação sobre um tema cada dia mais premente, o da influência demoníaca na vida do ser humano, responsável pela quase totalidade dos males hodiernos. O intuito é o de entender como o satanismo especialmente a partir das últimas três centúrias, vem dominando praticamente todas as esferas da vida humana, da religiosa à civil, trazendo consequências a nível individual, familiar e coletivo; isto dito por quem lida direta e indiretamente com os “dominadores deste mundo tenebroso” (Ef VI, 12). As informações, altamente necessárias a todos, crentes e não crentes, servirão para nos colocar diante da verdade: sobre nós e sobre os que nos cercam; tendo em conta o revelado à Santa Brígida da Suécia, que a Igreja utiliza em sua liturgia: “(...) Suplico-Vos, meu Salvador, livrai-me de todos os meus inimigos visíveis e invisíveis e fazei-me chegar, com vosso auxílio, à perfeição da salvação eterna”. É disto que se tratará nas postagens a seguir, vindas em boa hora para que a Verdade possa de fato libertar os – cada vez crescentes – milhões de cativos mundo afora, mesmo fora das prisões institucionais; portanto, eu, você, e muitos mais.
Porta aberta ao demônio – 6ª porta
R.P Paul Marie de Mauroy*

sábado, 29 de junho de 2019

FALAM OS EXORCISTAS – PARTE X



Nota do tradutor – Com as postagens a seguir, intituladas “Falam os exorcistas”, pretende-se proporcionar aos leitores informação sobre um tema cada dia mais premente, o da influência demoníaca na vida do ser humano, responsável pela quase totalidade dos males hodiernos. O intuito é o de entender como o satanismo especialmente a partir das últimas três centúrias, vem dominando praticamente todas as esferas da vida humana, da religiosa à civil, trazendo consequências a nível individual, familiar e coletivo; isto dito por quem lida direta e indiretamente com os “dominadores deste mundo tenebroso” (Ef VI, 12). As informações, altamente necessárias a todos, crentes e não crentes, servirão para nos colocar diante da verdade: sobre nós e sobre os que nos cercam; tendo em conta o revelado à Santa Brígida da Suécia, que a Igreja utiliza em sua liturgia: “(...) Suplico-Vos, meu Salvador, livrai-me de todos os meus inimigos visíveis e invisíveis e fazei-me chegar, com vosso auxílio, à perfeição da salvação eterna”. É disto que se tratará nas postagens a seguir, vindas em boa hora para que a Verdade possa de fato libertar os – cada vez crescentes – milhões de cativos mundo afora, mesmo fora das prisões institucionais; portanto, eu, você, e muitos mais.
Porta aberta ao demônio – 5ª porta
R.P Paul Marie de Mauroy*

A Hipersensibilidade

1º momento

A quinta porta aberta se trata da Hipersensibilidade.

A sensibilidade humana tem dois lados, um lado afetivo e um cognoscitivo. Deste modo, há dois tipos de hipersensibilidade.

A hipersensibilidade é um desenvolvimento muito importante da vida sensível no homem. Na natureza humana há três graus de vida: um grau de vida vegetativo que compartilhamos com as plantas, isto é, respiramos e nos nutrimos. Um grau de vida sensível, que compartilhamos com os animais. E um grau de vida espiritual, que nos é próprio. E quando falo do grau de vida espiritual, não entendo a religião só em um nível natural, isto é, inteligência e vontade.

Todos os seres humanos possuem os três graus de vida. Todos temos uma capacidade de vida limitada. Se alguém pratica esportes, verá que não pode ultrapassar um limite, que já está posto. Esta capacidade de vida limitada vem com os três graus de vida, isto é, vida vegetativa, sensível e espiritual.

Contudo, segundo uma ordem de finalidade, tudo em função do grau de vida espiritual. Por exemplo: eu vejo com os olhos; isto a partir do grau de vida sensível. Eu ouço falar; grau de vida sensível; para logo conhecer com a inteligência. Se nunca vi, nem ouvi falar, não posso conhecer com a inteligência. Isto quer dizer que o meu grau de vida sensível está em função do grau de vida espiritual. Isto é: a inteligência. É uma ordem de finalidade.

Em uma pessoa hipersensível há uma anomalia. A capacidade de vida limitada, em vez de empregar a vida segundo a ordem de finalidade, a vida espiritual, grande parte da capacidade da vida vem da vida sensível, de tal modo que este grau de vida se torna muito desenvolvido. Mas como a capacidade de vida é limitada, isso se dá em detrimento da vida espiritual, isto é, a vida espiritual torna-se muito frágil.

terça-feira, 18 de junho de 2019

FALAM OS EXORCISTAS – PARTE IX


Nota do tradutor – Com as postagens a seguir, intituladas “Falam os exorcistas”, pretende-se proporcionar aos leitores informação sobre um tema cada dia mais premente, o da influência demoníaca na vida do ser humano, responsável pela quase totalidade dos males hodiernos. O intuito é o de entender como o satanismo especialmente a partir das últimas três centúrias, vem dominando praticamente todas as esferas da vida humana, da religiosa à civil, trazendo consequências a nível individual, familiar e coletivo; isto dito por quem lida direta e indiretamente com os “dominadores deste mundo tenebroso” (Ef VI, 12). As informações, altamente necessárias a todos, crentes e não crentes, servirão para nos colocar diante da verdade: sobre nós e sobre os que nos cercam; tendo em conta o revelado à Santa Brígida da Suécia, que a Igreja utiliza em sua liturgia: “(...) Suplico-Vos, meu Salvador, livrai-me de todos os meus inimigos visíveis e invisíveis e fazei-me chegar, com vosso auxílio, à perfeição da salvação eterna”. É disto que se tratará nas postagens a seguir, vindas em boa hora para que a Verdade possa de fato libertar os – cada vez crescentes – milhões de cativos mundo afora, mesmo fora das prisões institucionais; portanto, eu, você, e muitos mais.
Porta aberta ao demônio – 4ª porta
R.P Paul Marie de Mauroy*

A Falta de Abandono a Deus

A quarta porta aberta ao demônio é uma falta de abandono a Deus. Esta porta aberta ao demônio é quase a mais importante de todas, porque toda a ajuda que Jesus Crucificado pode nos dar, torna-se obstaculizada quando não se abandona totalmente a Deus. É preciso um abandono total para receber a ajuda que Cristo pode nos dar.

Como se pode saber que uma pessoa vive esse abandono em Deus? Existe um critério. Coloco um exemplo. Uma pessoa pede a Deus para ter uma graça particular. E reza tanto, tanto, mas não é atendida. Existem duas reações possíveis: se a pessoa diz “eu supliquei tanto a Deus”, e não foi atendida, então pede a Deus que peça para mostrar o que não está bem em sua oração para enfim ser atendida. Ou pode ser que alguém diga: “eu supliquei muito a Deus, não fui atendida, porém prefiro a vontade de Deus a meu desejo, e assim é o melhor”. O segundo modo, a segunda reação, é completamente abandonar-se a Deus.

domingo, 9 de junho de 2019

Renovação Carismática a descoberto (Os pretensos carismas)

invocacionens




O DOM DA CURA - Ouvindo os pentecostais ou renovação ou espírito carismático ou carismáticos, parece que eles estão andando em um tapete esmaltado por inúmeros milagres, que exibem como prova segura da origem divina do movimento. No entanto, para aceitar autênticas as curas milagrosas, são necessárias três condições:

a) Que todas as causas naturais capazes de cura súbita sejam excluídas, o que não acontece, por exemplo, nas curas milagrosas reais ou verdadeiras do câncer ou na ressurreição dos mortos.

b) Que o suposto milagre seja submetido a um atento exame por médicos, cientistas e teólogos, como acontece, por exemplo, nos milagres de Lourdes ou naqueles atribuídos à Virgem e aos Santos.

c) Que a sentença final é dada pela autoridade competente.
Agora, estas três condições não existem no Movimento Carismático ou Renovação Carismática. Eles acreditam em milagres pelo simples testemunho daqueles que afirmam recebê-los; alguns "milagres" são de natureza trivial, outros de natureza psicológica, outros não duram permanentemente. Também seria necessário examinar as causas de cada milagre particular.

Existem três causas possíveis:

sábado, 25 de maio de 2019

FALAM OS EXORCISTAS – PARTE VIII


Nota do tradutor – Com as postagens a seguir, intituladas “Falam os exorcistas”, pretende-se proporcionar aos leitores informação sobre um tema cada dia mais premente, o da influência demoníaca na vida do ser humano, responsável pela quase totalidade dos males hodiernos. O intuito é o de entender como o satanismo especialmente a partir das últimas três centúrias, vem dominando praticamente todas as esferas da vida humana, da religiosa à civil, trazendo consequências a nível individual, familiar e coletivo; isto dito por quem lida direta e indiretamente com os “dominadores deste mundo tenebroso” (Ef VI, 12). As informações, altamente necessárias a todos, crentes e não crentes, servirão para nos colocar diante da verdade: sobre nós e sobre os que nos cercam; tendo em conta o revelado à Santa Brígida da Suécia, que a Igreja utiliza em sua liturgia: “(...) Suplico-Vos, meu Salvador, livrai-me de todos os meus inimigos visíveis e invisíveis e fazei-me chegar, com vosso auxílio, à perfeição da salvação eterna”. É disto que se tratará nas postagens a seguir, vindas em boa hora para que a Verdade possa de fato libertar os – cada vez crescentes – milhões de cativos mundo afora, mesmo fora das prisões institucionais; portanto, eu, você, e muitos mais.
Porta aberta ao demônio – 3ª porta
R.P Paul Marie de Mauroy*

A Falta de Perdão
Agora, falemos da terceira porta aberta que é uma falta de perdão.

Às vezes as feridas são tão fortes, que se torna mais difícil de perdoar. Não falo mais das feridas da infância, mas agora dos adultos. Porque às vezes as feridas são impedimentos, no sentido em que a pessoa, na sua vida, traz sequelas dessa ferida e não consegue perdoar.

O perdão não é esquecer, é uma outra coisa. O perdão é um ato interior do coração. Perdoar sem esquecer, é porque uma pessoa foi ferida gravemente, não pode esquecer, porém, pode perdoar.

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Renovação Carismática a descoberto (O Batismo no Espírito)

Image2



Como já foi dito, "pentecostalismo" e "carismatismo" eram desconhecidos na Igreja, tendo nascido no século XIX entre as seitas protestantes. Os dois leigos católicos Ralph Keifer e Patrick Bourgeois, que o apresentaram à Igreja Católica, receberam o Batismo do Espírito das mãos dos pentecostais protestantes; portanto, sua ação foi um insulto à verdadeira e única Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo e, consequentemente, uma autêntica apostasia.
Eles, com sua ação, se não com as palavras, declararam que a Igreja Católica não foi capaz de dar-lhes o Espírito Santo através dos Sacramentos, os sacramentais, as bênçãos, o Sacrifício da Missa, Comunhão, retiros, peregrinações, etc. É por isso que eles se sentiram constrangidos a procurá-lo do lado de fora, entre os pentecostais protestantes, onde ele se encontraria facilmente.

Agora, como poderia o Espírito Santo se comunicar com essas pessoas? Se assim for, isso implicaria que a Igreja Católica não tem o direito de dizer que é a única Igreja verdadeira de Cristo; portanto, se o que o Movimento Carismático afirma ser verdadeiro, todo católico deveria deixar a Igreja e se unir aos protestantes pentecostais, que estavam cheios do Espírito Santo muito antes que a Igreja Católica soubesse alguma coisa sobre isso.

Como pode um católico buscar o Espírito Santo em uma Igreja não católica, sem implicitamente negar a unidade da Igreja Católica?

Se o considerado Batismo do Espírito fosse verdadeiro, seria na verdade um "Super Sacramento", instituído, no entanto, não por Cristo, mas pelos homens. Naturalmente, os pentecostais "católicos" negam que se trata de um sacramento, mas isso se deve à confusão e à insegurança que permeiam todo o seu ensinamento doutrinário. Eles insistem em "experiência" e não estão completamente certos da "doutrina". Nisto, os pentecostais protestantes são muito mais coerentes: eles rejeitam o batismo de crianças e a Confirmação dos adolescentes, e em vez disso pregam um batismo de fé para os adultos, que deve ser seguido pelo verdadeiro Batismo no Espírito.

Mas os pentecostais católicos não se atrevem a rejeitar esses sacramentos, porque seria uma heresia escandalosa; no entanto, apenas alude a eles em seus ensinamentos, e aqui e ali fazem declarações surpreendentes, fora da fé. Tomemos por exemplo o que dizem Kevin e Dorothy Ranaghan no livro "Católicos Pentecostais", que é considerado um dos Clássicos do movimento:

"O Batismo no Espírito Santo é uma parte fundamental da nossa iniciação cristã. Para os católicos, essa experiência é uma renovação, que torna nossa iniciação concreta e explícita ". É difícil sondar a profundidade dos erros contidos nessas linhas, mas, mesmo assim, eles podem ser detectados. Em primeiro lugar, nesta declaração presume-se que o Batismo do Espírito tem um significado diferente, dependendo se é católico ou protestante, e, portanto, haveria um batismo do Espírito para os protestantes e outro para os católicos.
Além disso, se "o Batismo do Espírito Santo é parte fundamental de nossa iniciação cristã", segue-se que ninguém é cristão autêntico se não o recebeu, porque lhe faltaria algo fundamental na vida cristã. As conclusões seria verdadeiramente surpreendente: Santo Agostinho, São Tomás de Aquino, São Francisco de Assis, Santa Teresa de Ávila, São Francisco Xavier, Santa Teresa de Lisieux, São Pio X, todos os papas e bons cristãos antes de 1966, e mais tarde todos aqueles que se recusam a receber o Batismo do Espírito ou que simplesmente não o receberam, não seriam cristãos autênticos, pois foram privados de algo fundamental na vida cristã.

Isso implicaria também que haveria um cristianismo dentro da cristandade, uma raça escolhida dentro do povo de Deus. Implicaria mesmo que por dois mil anos a Igreja Católica teria privado seus filhos da plenitude do Espírito Santo. Ela teria se comportado com eles como uma madrasta indigna, até que os pentecostais trouxessem a plenitude do Espírito Santo para o seio da Igreja.