quinta-feira, 7 de junho de 2018

Democracias liberais: o sonho de poucos para manter a indigência de muitos

Imagem relacionada



É curioso ver como a natureza humana não muda no fundo, mas permanece a mesma hoje como há milhares de anos atrás. A "Epopeia de Gilgamesh" (a epopeia babilônica, cerca de 6000 aC) já criticava a humanidade que tem olhos para ver e não vê, e ouvidos para ouvir e não ouvir. Alguns autoproclamados patriotas ainda não entendem nada e sucumbem à lógica eleitoral como o ponto máximo da ingenuidade humana.


Não devemos nada nem nada nos devem os atores do sistema partidocrático. Com base nessa independência, acreditamos no que escrevemos e escrevemos o que pensamos. Se as pessoas não estiverem prontas para ouvir a verdade, que se retirem para a montanha.
É sobre as mesmas pessoas que, talvez sem a intenção, sucumbiram à lógica partidocrática e à dogmatização do voto.

A história nunca foi feita pelas maiorias, mas sempre pelas minorias. É por isso que as democracias liberais representam o maior exercício de perversão política. Suprime o valioso, o capaz, o sublime ... sob o peso da massa ignorante e decadente; ofusca o melhor em benefício dos medíocres, os oportunista em detrimento dos excelentes, os espíritos livres por vontades voláteis e acorrentadas.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Santa Joana D'arc

Resultado de imagem para joana darc


Nascida em Domrémy em Champagne, provavelmente em 6 de janeiro de 1412; Morreu em Rouen, em 30 de maio de 1431. A vila de Domrémy ficava no território que reconhecia a suserania do duque de Borgonha, mas no prolongado conflito entre os Armagnacs (o partido de Carlos VII, rei da França), de um lado, e os burgúndios em aliança com os ingleses, de outro, Domrémy sempre se mantivera fiel a Carlos.


Jacques d'Arc, pai de Joana, era um pequeno camponês, pobre, mas não necessitado. Joana parece ter sido a mais jovem de uma família de cinco pessoas. Ela nunca aprendeu a ler ou escrever, mas era hábil em costurar e fiar, e a ideia popular de que ela passou os dias de sua infância nos pastos, sozinha com as ovelhas e o gado, é completamente infundada. Todas as testemunhas no processo de reabilitação falavam dela como uma criança singularmente piedosa, que frequentemente se ajoelhavam na igreja absorta em oração, e amava os pobres com ternura. Grandes tentativas foram feitas no julgamento de Joana para conectá-la com algumas práticas supersticiosas supostamente executadas em torno de uma certa árvore, popularmente conhecida como a "árvore das fadas" (l'Arbre des Dames), mas a sinceridade de suas respostas desconcertou seus juízes. Ela havia cantado e dançado lá com as outras crianças, e tinha feito grinaldas para a estátua de Nossa Senhora, mas desde que ela tinha doze anos de idade, ela se manteve distante de tais diversões.

Foi com a idade de treze anos e meio, no verão de 1425, que Joana se tornou consciente de uma manifestação, cujo caráter sobrenatural seria agora imprudente questionar, que ela depois passou a chamar de "vozes" ou " conselho." A princípio, era simplesmente uma voz, como se alguém tivesse falado bem perto dela, mas também parece claro que um clarão de luz a acompanhava e que, mais tarde, ela discernia claramente, de alguma forma, a aparência daqueles que falavam com ela. Reconhecendo-os individualmente como São Miguel (que estava acompanhado por outros anjos), Santa Margarida, Santa Catarina e outros. Joana estava sempre relutante em falar de suas vozes. Ela não disse nada sobre eles ao seu confessor, e constantemente se recusou, em seu julgamento, a descrever a aparência dos santos e a explicar como ela os reconhecera. Não obstante, ela disse a seus juízes: "Eu os vi com esses mesmos olhos, assim como os vejo".

Grandes esforços foram feitos por historiadores racionalistas, como M. Anatole France, para explicar essas vozes como o resultado de uma condição da exaltação religiosa e histérica que tinha sido promovida em Joana pela influência sacerdotal, combinada com certas profecias correntes no campo de uma donzela do bois chesnu (madeira de carvalho), perto da qual estava situada a Árvore das Fadas, que deveria salvar a França por um milagre. Mas a falta de fundamento dessa análise dos fenômenos foi totalmente exposta por muitos escritores não-católicos. Não há sombra de evidência para apoiar essa teoria de conselheiros sacerdotais que treinam Joana em parte, mas muito do que a contradiz. Além disso, a menos que acusemos a donzela de falsidade deliberada, que ninguém está preparado para fazer, foram as vozes que criaram o estado de exaltação patriótica e não a exaltação que precedeu as vozes. Sua evidência sobre esses pontos é clara.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Greve de caminhoneiros é coordenada por “Movimento Fora Temer” e “militante petista”


A Greve é mais uma arma que os comunistas usam para levar o caos à sociedade. Se aproveitando de certas injustiças, muitas delas provocadas intencionalmente por eles mesmo como álibi para provocar greves, os luciferinos incitam as massas conduzindo-a a anarquia e à decadência da ordem social.


A greve dos caminhoneiros – que completa oito dias nesta segunda-feira (28) e pode se encerrar após o governo Temer atender a pauta de reivindicações de suas lideranças – é coordenada pelo “Movimento Fora Temer”, cujos principais interlocutores são um advogado que se autodenomina “militante petista”, um militante do Podemos e um pescador que chegou a ser preso por “pesca predatória”.
A principal página de divulgação dos informes e boletins do movimento grevista tem sido a de André Janones, advogado de Ituiutaba-MG. Em poucos dias, a página do mineiro chegou a 590 mil seguidores divulgando vídeos dos caminhoneiros nas estradas, informações das negociações com o governo e boletins da greve. Um vídeo divulgado neste domingo (27), entretanto, começou a mostrar uma outra face da greve: o “2° BOLETIM DA GREVE: Direto do comando nacional do Movimento FORA TEMER”.

Festa de Corpus Christi - Corpo de Cristo


“Corpo e sangue do meu Deus, eu vos adoro, presentes na Eucaristia, ao mesmo tempo símbolo e fermento da unidade entre Cristo e os fiéis, que dela se alimentam. (Na Igreja dos primeiros séculos Cristo era simbolizado por um peixe, porque as letras desta palavra, em grego, eram as iniciais de << Jesus Cristo, filho de Deus, Salvador >>).


FESTA DO CORPO DE CRISTO


 A festa do Corpo de Cristo remonta ao século XIII. Instituiu-a, em 1246, o bispo de Liège, na sua diocese a pedido instante de Santa Juliana, prioresa de um convento situado às portas da cidade, no monte Cordillon. Passados anos, Urbano IV, antigo arcediago de Liège, estendeu-a à Igreja universal. A procissão do Santíssimo, que dela faz parte, tornou a festa do Corpo de Cristo, em pouco tempo, uma das mais queridas do povo. Com a sua fé na presença real, canta a Deus nesta solenidade, o reconhecimento de todos os benefícios auferidos neste sacramento. A Eucaristia liga-se intimamente à vida da Igreja e dos fiéis. Pode dizer-se que é na Eucaristia que esta vida que se vai haurir e que nela se exprime continuamente. Na Santa Missa, a Igreja atualiza sobre nossos altares, o sacrifício de Cristo, fonte da redenção, e oferece-o incessantemente a Deus, em união com o próprio Cristo. Na Sagrada Comunhão, é a união íntima dos fiéis com Cristo, por eles imolado, que se opera, e a transfiguração de suas vidas pela D’ele: nascidos para a vida da graça, nas águas batismais, alimentam-se na Eucaristia, como dum pão celeste.

A missa e o ofício foram compostos por São Tomás. Ai se encontra, com a alma do Santo, a precisão de doutrina do grande Teólogo.


sexta-feira, 25 de maio de 2018

Nossa Senhora Auxiliadora

Resultado de imagem para nossa senhora auxiliadora

24 de Maio

A invocação Auxilium Christianorum (Auxílio dos Cristãos) originou-se no século XVI. Em 1576 Bernardino Cirillo, arcipreste de Loreto, publicou em Macerreta duas ladainhas da Virgem, que, segundo ele, era usada em Loreto: Uma forma completamente diferente de nosso texto atual e outra forma ("Aliae litaniae BMV") idêntica à ladainha de Loreto, aprovada por Clemente VIII em 1601, e agora usado em toda a Igreja. Este segundo formulário contém a invocação Auxilium Christianorum. Possivelmente os guerreiros que retornaram de Lepanto (7 de outubro de 1571) visitaram o santuário de Loreto, saudaram a Santa Virgem lá pela primeira vez com este novo título; é mais provável, no entanto, que seja apenas uma variação da invocação antiga Advocata Christianorum, encontrada em uma ladainha de 1524. Torsellini (1597) e o Breviário Romano (24 de maio, apêndice) dizem que Pio V inseriu a invocação no litania de Loreto depois da batalha de Lepanto; mas a forma da ladainha em que é encontrada pela primeira vez era desconhecida em Roma na época de Pio V (ver LITANHA DE LORETO; Schuetz, "Gesch. des Rosenkranzgebets).

domingo, 20 de maio de 2018

Maçonaria esconde segredos diabólicos de seus membros

FM-Leese.jpg


A Maçonaria é a Igreja de Satanás. É claro que os não-iniciados “azuis” não são informados de que adoram a Lúcifer. O satanismo é a inversão de todos os valores, a normalização da doença e a negação da realidade.

Albert Pike: "A Maçonaria, como todas as Religiões, todos os Mistérios, Hermetismo e Alquimia, oculta seus segredos de todos, exceto dos Adeptos e Sábios, ou os Eleitos, e usa falsas explicações e interpretações errôneas de seus símbolos para enganar aqueles que merecem apenas ser enganado, esconder a Verdade, que chama de luz, e afastá-los dela. [Morals and Dogma, pág. 104-5].

OBS: Albert Pike foi um maçon americano e erra ao dizer que todas as religiões escondem segredos, ela está julgando todas, tomando a própria maçonaria como referência.

Manly P. Hall: "Quando um maçom aprende a chave para o guerreiro no bloco é a aplicação apropriada do dínamo do poder vivo, ele aprendeu o mistério de sua Arte. As energias fervilhantes de Lúcifer estão em suas mãos e antes dele pode pisar para frente e para cima, ele deve provar sua capacidade de aplicar adequadamente a energia ". [The Lost Keys to Freemasonry (As Chaves Perdidas da Maçonaria, Manly P. Hall, p. 48 )].

Domingo de Pentecostes

Eis realizada a profecia de

 Joel: o Espírito Santo desce

sobre Maria e os Apóstolos; e

as maravilhas de Deus vão ser

pregadas no mundo inteiro.




O dom do espírito Santo fora anunciado pelos profetas para os templos messiânicos. A sua descida sobre os Apóstolos é o pórtico desta era nova. Funda-se então a Igreja, e é-lhe conferido o espírito de Cristo, <<para renovar a face da terra>>. A narrativa dos Atos recorda os acontecimentos do dia de Pentecostes: a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos e os fenômenos que a acompanham, particularmente o milagre das línguas, símbolo da Missão universal dos Apóstolos. Todas as nações são chamadas a ouvir a proclamação da Boa Nova.


A esta presença do Espírito Santo, que inspira e dirige a Igreja, na sua missão de pregar o Evangelho até aos confins do mundo, acresce outra presença mais íntima e mais pessoal, que faz dos Apóstolos homens novos, transformando-lhes a própria natureza. A sequência da Missa e o hino de véspera descrevem e evocam penetrante do Espírito Santo no coração dos fiéis. A leitura do livro dos Atos durante toda a oitava, mostrará esta dupla ação do Espírito Santo na Igreja e na alma dos crentes.


sexta-feira, 11 de maio de 2018

Maio de 1968: meio século de subversão da ordem



Uma análise de maio de 1968 escondida pela mídia de massa judaico-maçônica-comunista.


Em maio de cinquenta anos atrás, irrompeu na França, na Universidade La Sorbonne, em Paris, o que veio a ser chamado de “Revolução de Maio”, revolta estudantil não poderia derrubar o sistema universitário contra o qual se rebelaram, nem poderia estabelecer qualquer tipo de movimento político, mas que, no entanto, mudou profundamente a sociedade.

O historiador Fernand Braudel escreve:

Herbert Marcuse, que, inconscientemente, se tornou o guru desta revolução, estava certo em dizer (23 de março de 1979) que é estúpido descrever 1968 como uma derrota. 1968 sacudiu os fundamentos da sociedade, quebrou hábitos e tabus, e até destruiu a apatia: o tecido familiar e social foi quebrado o suficiente para criar novos estilos de vida em todos os níveis da sociedade. É nesse sentido que realmente foi uma revolução cultural”.

"Para alguns, 1968 foi o ano do sexo, drogas e rock and roll. No entanto, foi também o ano dos assassinatos de Martin Luther King Jr. e Bobby Kennedy; a agitação na Convenção Nacional Democrata em Chicago; a Primavera de Praga; o movimento anti-guerra e a ofensiva do Tet; Poder negro; a lacuna geracional; teatro de vanguarda; o ressurgimento do movimento feminino».

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Venezuela: as Igrejas não tem mais hóstias para Comunhão



Nota do tradutor: Conheço um pouco a realidade venezuelana, ao menos a da fronteira com o Brasil. Há pelo menos quatro anos vem se noticiando a questão da falta de trigo para hóstias na Venezuela. Não somente o Vaticano tinha conhecimento, como, antes, o ex Núncio atual Secretário de Estado e, antes deste, os bispos locais, por seu turno alertados por seus sacerdotes. O texto fala de uma penúria material (pão) seguida da espiritual (Palavra de Deus). Penso que seja o contrário. Há muito a Venezuela padece da fome do Pão do Céu em sentido latu, agravada, como bem salienta o texto, pelas muitas flechadas lançadas contra o Coração de Maria no intuito de repeli-la. Mas não se pense que a estratégia diabólica se restringirá à Venezuela. Procuramos fazer com que haja um compadecimento um tanto sentimental e pouco racional pelos famintos de pão. Há quanto tempo os famintos da Palavra de Deus não perambulam, não somente pelas ruas da Venezuela, mas pelos cantos mais fartos luxuosos do mundo, sem que haja, não digo nem projeção midiática, mas clamor ao céus? Como dizem os irmãos hispânicos: “Ojo! Hermanos, ojo!”


Tradução de Airton Vieira – A derrocada da Venezuela, fruto do regime bolivariano-comunista, trouxe ao cenário calamidades inimagináveis: centenas de milhares de venezuelanos fogem da fome, famílias reviram o lixo à busca de comida, pessoas alimentando-se de carne de cachorro, mercados com as estantes vazias, farmácias sem remédios, hospitais sem sangue por falta de reagentes para analisá-lo, crianças morrendo de desnutrição, pais que entregam seus filhos para ser adotados por não ter como sustentá-los, inflação astronômica, etc.
Mas os desastres que ocorrem na outrora próspera Venezuela não se detêm aí. Os jornais informam que em várias igrejas do país não se distribui a comunhão durante a Missa por falta de hóstias! Isto é, não há farinha para prepará-las e em consequência os fiéis católicos não podem comungar.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Quamquam Pluries


1º de  Maio dia de São José operário.

Com esse documento do Papa Leão XIII, lembramos da importância de nosso padroeiro e guardião da Igreja de Cristo, já que os inimigos de Deus sempre estão colocando uma data humanista para substituir o feriado santo por um feriado antropocêntrico cuja finalidade é colocar os bens terrenos corruptíveis acima dos bens celestes incorruptíveis e, assim, vai se apagando da memória popular esse grande intercessor que temos diante de Deus.



Quamquam Pluries


A devoção a são José


Papa Leão XIII


Ainda que tenhamos mandado mais vezes que em todo o mundo católico se fizessem orações especiais e com a maior insistência se recomendassem a Deus os interesses da Igreja, mesmo assim, ninguém há de se admirar se neste ano julgamos nosso dever inculcar novamente este dever.

Com efeito, nos momentos difíceis e de maneira particular quando “o poder das trevas” parece tudo ousar para a ruína da religião cristã, a Igreja, costuma invocar e suplicar, com fervor e constância maior, a Deus, seu fundador e protetor, interpondo também a intercessão dos santos e especialmente da Virgem Mãe de Deus, porque da proteção deles espera o mais válido apoio aos seus interesses. E cedo ou tarde manifestam-se os frutos das orações piedosas e das esperanças que ela pôs na bondade de Deus.

Ora, veneráveis irmãos, vós conheceis as adversidades do nosso tempo, que é bem mais prejudicial para a religião cristã do que aqueles que passaram. Vemos como num grandíssimo número de fiéis desaba a fé, fundamento de todas as virtudes cristãs; resfria-se a caridade; a juventude cresce na depravação dos costumes e das ideias; a Igreja de Cristo é assaltada por todo lado com violência e a fraude; faz-se uma guerra feroz ao pontificado; com ousadia crescente corroem-se os próprios fundamentos da religião. Não é preciso demonstrar, por se demasiado conhecido, até que ponto se chegou a esta descida nos últimos tempos, e o que se quer fazer de pior ainda.